BDSM? O QUE É?

BDSM é um acrónimo:
BD – Bondage/Disciplina
DS – Domínio/Submissão
SM – Sadismo/Masoquismo

O BDSM é um conceito que tem como intuito proporcionar prazer sexual através da troca erótica de poder, que pode envolver (ou não) dor, submissão, tortura psicológica, cócegas e outros meios. Por padrão, a pratica é provocada pelo dominador(a) e sentida pelo(a) submisso(a).

Muitas das praticas BDSM são consideradas, nada agradáveis, num ambiente não sexual. Por exemplo, a dor, a prisão, a submissão e até mesmo as cócegas são consideradas sensações desagradáveis. Contudo, no contexto BDSM estas são práticas levadas a cabo com o consentimento mútuo.

Bondage e Disciplina
Os praticantes da corrente “Bondage e Disciplina” são apreciadores da imobilização normalmente são utilizados objetos como correntes, cordas e até camisas de força. Em suma objetos cujo objetivo é a imobilização do parceiro.

Dominação e Submissão
Os praticantes da corrente “Dominação e Submissão” são apreciadores de dominar ou ser dominado(submissão). Exemplo:

Um dominador tem desejos de ter o poder de comandar e subjugar, logo o seu parceiro ideal seria uma pessoa que goste de ser submetida aos desejos do outro. O recomendado é que devem ser estipulados limites para que o ato permaneça prazeroso para todos. Por isso é também pratica normal a criação de uma “safeword” que quando dita pelo submisso dá a entender que se está a sentir desconfortável seja fisicamente ou mentalmente.

Sadismo e Masoquismo
Este é um grupo diferente dos praticantes de “Dominação e Submissão”. Sadomasoquismo é uma orientação sexual que utilização a estimulação física ou psicológica com o objetivo de produzir excitação e satisfação sexual. É possível existir torturas, sangue e até cenas de spanking. É importante saber que o objetivo final é sempre o prazer de todos os envolvidos. A diferença entre a violência gratuita e o BDSM são os seus pilares: São, Seguro e Consensual. São:

Todos os participantes devem estar num estado de plena consciência e lucidez. A fantasia
deve ser separada da realidade de forma segura.

Seguro:
Os riscos devem ser analisados e minimizados. Deve ser tudo feito para que o seu parceiro não corra qualquer risco físico ou mental. Tente conhecer as técnicas a profundidade suficiente antes de as executar.

Consensual:
O relacionamento tem de ser acordado previamente de modo a que a cena tenho um significado erótico ou sexual para ambos os membros.

Algumas práticas comuns:

Pet Play: é quando o submisso tem um comportamento igual ao de um animal de estimação geralmente o animal é um gato ou um cão onde o Dominador lhes pega pela trela, dá comida e ordena certas ações.

Age Play: é quando o submisso age como uma criança ou um bebé. Na comunidade dos é geralmente forçado a utilizar fraldas, para provocar a sensação de humilhação e vulnerabilidade. A premissa das brincadeiras é que a criança se comportou mal e precisa ser castigada.

Chuva dourada: é o ato de urinar em cima do submisso. Pode proporcionar prazer tanto para quem urina como para quem é urinado.

Face-sitting: é quando o dominador ou dominadora se senta no rosto do submisso de maneira a que este obrigado a estimular o genital ou ânus oralmente.

Medical Play: é a simulação de uma cena médica onde o submisso assume o papel do paciente e fica vulnerável aos exames do dominador. Geralmente são usados muitos equipamentos, como sondas ou estimuladores elétricos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *