SEXO ANAL: TABU OU PRAZER?

Miranda: A questão é, se ele quere fazê-lo por trás, ele irá respeitar-te mais ou te respeitar menos?
Essa é a questão.
Samantha: O que mais da, um buraco é um buraco.
Charlotte: Não, eu não sou um buraco!
Samantha: Tudo o que estou a dizer é que é apenas uma prática física, que o corpo é projetado para
experimentá-lo e, pós-lançamento, é fabuloso.
Charlotte: Mas do que estas a falar?, eu sou uma boa mulher!
Samantha: Estou apenas a dizer isso com um homem especial e com um bom lubrificante claro…!

 

O anterior é uma conversa sobre o sexo anal extraída de um capítulo da série de TV ‘Sex in New York’. A questão do respeito ou da integridade da mulher ou se é simplesmente física, cercam esta prática e não apenas na ficção.

O sexo anal foi e está ligado a muitos tabus. É considerado algo sujo, doloroso e, nos homens, unido a certas tendências sexuais. Se acrescentarmos a isso a religião que tradicionalmente a classificou como uma prática “não natural”, faz com que “fazê-lo por trás” em geral seja visto com muita polarização negativa. Mas é por isso?


DEMISTIFICANDO SEXO ANAL

Não é natural? Do ponto de vista reprodutivo, é inegável que o significado é na penetração penilevagina. Mas o sexo anal foi observado entre machos de ovelhas, girafas e bisonte, e também entre machos de golfinhos de nariz de garrafa, que se penetram.

É doloroso? Bem praticado, Bem executado, não tem que ser. O ânus expande-se, embora não tenha a mesma flexibilidade que a vagina, então tem que trabalhar com calma e paciência, respeitando os tempos. Além disso, não possui lubrificação natural, por isso é sempre aconselhável usar um lubrificante à base de água.

Está sujo? O ânus tem bactérias e, portanto, e por razões de segurança, é sempre recomendável proteger-se usando um preservativo. Em relação à higiene íntima, há aqueles que optam por usar um enema para uma limpeza mais completa, mas não é apropriado abusar dessa medida. Embora possa soar ridículo para comentar, os homens têm certas tendências ocultas? Claro que não. Não para dar ou para receber. Além disso, quando é o homem que o recebe pode ser muito agradável sentir a estimulação do ponto G.

E para o fim o mito mais comum: é esto para depravados? O sexo anal não são boas meninas ou más meninas. Uma certa prática não nos torna melhores ou pior, ou mais ou menos sexual, ou mais oun menos ousada. Da mesma forma que não nos faz respeitar mais ou menos. É simplesmente uma questão de gosto e prazer. Então, deixe cada um jogar, experimentar, curtir, fazer ou desfazer como quiser. Sem preconceitos ou tabus; com abertura e total liberdade. Afinal, é apenas um buraco ou não?

Texto original por: Arola Poch

One thought on “SEXO ANAL: TABU OU PRAZER?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *